Ecrãs LED de Interior e Exterior

Envolva os consumidores com mensagens de forte impacto

A capacidade de chamar atenção dos consumidores é cada vez complexa e concorrida, o que leva às empresas e anunciantes a procurarem soluções que consigam atrair cada vez mais o público de uma forma moderna e eficaz.

Em complemento às Montras Digitais, os LED Displays são a solução ideal para cativar os espetadores por serem vibrantes, atrativos e modulares. Este meio publicitário tem vindo a crescer e é cada vez mais popular devido a vários fatores.

Para além dos monitores LED estarem a tornar-se mais acessíveis face aos custos de fabricação continuarem a cair, a sua qualidade da imagem tem melhorado significativamente, fazendo com que os monitores sejam usados em várias aplicações de interior e exterior.

Os ecrãs LED de exterior são especialmente concebidos para suportar os diferentes estados climáticos e são suficientemente brilhantes para serem visíveis em plena luz solar. Basta remeter a centros emblemáticos de cidades como Nova York ou Tóquio para nos apercebermos da importância dos ecrãs LED, e o quão impactante é o seu conteúdo transmitido. Tal sucesso tem levado à adoção destes ecrãs LED de Exterior ao longo da última década em centenas de cidades em todos os cantos do planeta.

Em ambientes internos, como lojas, centros comerciais, museus, empresas e interiores de estádios, os ecrãs LED de interior ganham cada vez também mais notoriedade, tornando-se possível agendar conteúdos dinâmicos e alterar instantaneamente os vídeos, imagens ou as mensagens nos ecrãs LED, que muito dificilmente passam despercebidos, mesmo quando visualizados a longas distâncias.

Com esta evolução digital, para além de economizar em impressões de cartazes e vinis, é minimizado todo o fluxo associado à distribuição dos mesmos nas redes dos locais envolvidos.

A utilização do software de digital signage World VDS da Amplitude Net, dá a possibilidade de se passar a ter o controlo geral desde a criação dos conteúdos, até à sua entrega, com a definição do tempo de cada conteúdo a passar nos ecrãs. Deste modo, passa a haver uma flexibilidade total para se lidar durante todo o ano com as promoções sazonais, eventos especiais ou tendências atuais, de forma a que em tempo real, cada ecrã LED de Interior e Exterior consiga responder rapidamente às necessidades de cada local ou de um conjunto deles.

Este avanço tecnológico permitirá que a sua comunicação promocional se consiga facilmente destacar na atual apressada multidão e dos seus concorrentes, gerando um grande impulso nas dinâmicas comerciais e de marketing da sua empresa.

O nosso software WorldVDS de Sinalética Digital em ecrãs LED, permite a elaboração das mais variadas animações, de modo a apresentar conteúdos com movimento, que muito dificilmente passam despercebidos, mesmo quando visualizados a longas distâncias.

Sinalética Digital com ecrãs LED de Interior e Exterior

Alguns dos motivos que levam os nossos clientes a aderir ao nosso software WorldVDS de Sinalética Digital

  • Alta capacidade de atrair o público, quer estejam em ambientes externos, quer em ambientes internos através de mensagens dinâmicas, coloridas e animadas durante qualquer período do dia

  • Os painéis LED de exterior são especialmente concebidos para suportar os diferentes estados climatéricos e são suficientemente brilhantes para serem visíveis em plena luz solar

  • Permitem uma gestão e controlo do sistema de forma remota (horas de ligar / desligar e recuperar informações de status valiosas de qualquer exibição) com facilidade e agilidade

  • Redução de custos de impressão e logística para alteração dos cartazes e folhetos promocionais

  • Segmentação da emissão em função das especificidades locais ou regionais de cada espaço

  • Informações estatísticas sobre o conteúdo exibido em qualquer ecrã LED e/ou local

case_study_news_image

Casos de Estudo e Notícias

Digital Signage nos CTT – Um Caso de Sucesso

WorldVDS Digital Signage dá interatividade digital ao lugar mais emblemático Brasileiro

O que é o LED?

LED, abreviação de Diodo Emissor de Luz, emite luz por meio de radiação eletromagnética. Muitas vezes chamados de “luz fria”, ao contrário das lâmpadas incandescentes tradicionais, os LEDs não dependem do aquecimento de tubos metálicos para produzir luz. Em vez disso, o diodo emite luz à medida que a eletricidade flui através de dois semicondutores de silício especialmente revestidos, resultando em baixa tensão e dissipação de energia.

Feitos de materiais duráveis, sem partes móveis, os LEDs geralmente são revestidos de plástico macio, o que os torna mais duráveis. Sua operação produz pouco calor, reduzindo a necessidade de resfriamento dos componentes eletrônicos.

O primeiro LED foi inventado pelo inventor russo Oleg Losev em 1927. Originalmente, os LEDs eram limitados a infravermelho, vermelho e amarelo e podiam ser usados em dispositivos que vão desde controles remotos até relógios no rádio.

Em 1994, o cientista japonês Shuji Nakamura conseguiu criar um LED azul de alto desempenho. Mais tarde, surgiram os LEDs brancos e verdes, revolucionando os LEDs na tecnologia de exibição de luz.

Como funciona um ecrã LED?

O ecrã LED consiste numa matriz de vários LEDs. Variando o brilho de cada LED, esses díodos juntos formam uma imagem no ecrã.

Os princípios da mistura aditiva de cores são usados para criar uma imagem de cores vibrantes, onde novas cores são criadas pela mistura de diferentes cores de luz. Os LEDs vermelhos, verdes e azuis são dispostos num padrão fixo no ecrã LED. Essas três cores juntas formam pixels. Várias cores podem ser produzidas variando a tensão do díodo. Quando um ecrã de LED é vista à distância, uma matriz de pixels coloridos é combinada para formar uma imagem visível.

Quanta energia um ecrã LED consome?

A tecnologia LED é conhecida pela sua excepcional eficiência energética, e é por isso que hoje vemos tanta adoção de lâmpadas LED com eficiência energética. O consumo de energia dos díodos em um ecrã LED varia dependendo de fatores como tipo de ecrã, brilho e aplicação.

Existem muitos tipos diferentes de LEDs e ecrãs. Por exemplo, os ecrãs de indoor têm um consumo de energia diferente em comparação com um ecrã de outdoor que precisa ser visto mesmo sob luz solar direta. A luz também é uma consideração importante. O ecrã deve fornecer imagens nítidas sem ficar muito desfocadas. Ecrãs LED de exterior à luz do dia devem ser mais brilhantes do que à noite.

Além disso, o que é mostrado no espetáculo também é importante. Os ecrãs de LED convertem luzes de díodo coloridas em imagens. Assim, mostrar uma imagem inteiramente branca com texto preto exigiria díodos muito mais brilhantes – e consequentemente, mais potência – do que mostrar texto branco sobre fundo preto.

Quanto tempo dura um display LED?

Prever a vida útil exata de um ecrã LED é um desafio, devido a uma variedade de fatores que influenciam. No entanto, com a manutenção adequada, os ecrãs podem durar mais de uma década. Tal como acontece com qualquer outro dispositivo eletrónico, a sua longevidade é afetada pela utilização diária e pelo ambiente. Imagens brilhantes e de alto brilho podem causar deterioração mais rápida em comparação com imagens escuras e configurações de pouca luz. Fatores ambientais, como temperatura e salinidade do ar, também desempenham um papel relevante.

A saída de luz dos díodos diminuirá gradualmente ao longo da vida útil do ecrã LED. A extensão desta redução depende do tipo e geração do díodo. Muitos ecrãs LED tendem a operar abaixo do brilho máximo, portanto a redução do brilho raramente é um problema importante.

O que é o pixel pitch e a resolução do ecrã?

O espaçamento entre os díodos do ecrã LED determina sua resolução. Chamada de pixel pitch, essa distância é medida do centro de cada díodo vermelho, verde e azul até ao centro do conjunto adjacente. Cada pixel é composto por um conjunto de díodos.

Se um ecrã LED tiver uma distância entre pixels de 1 cm, pode haver 100 x 100 pixels por metro quadrado de ecrã. As dimensões do ecrã são geralmente expressas como dois números que indicam a largura e a altura em pixels. Portanto, se tivermos um ecrã de 6 x 8 metros com pixel pitch de 1 cm, a resolução será de 600 x 800 pixels.

Um ecrã de LED pode ter uma densidade de pixels de apenas um milímetro por alguns centímetros.

Que resolução devo escolher?

A resolução necessária para um ecrã LED varia dependendo do ângulo de visão. Considere de onde o seu público assistirá ao jogo. Quando você se aproxima de LEDs de baixa potência, onde há uma grande lacuna entre os díodos, pode ser difícil ver os ecrãs.

Geralmente há uma correlação entre a resolução do ecrã e o preço. Resoluções mais altas têm mais diodos por metro quadrado, resultando em maior custo por metro quadrado.

Por exemplo, se colocar um ecrã de digital signage perto de uma estrada ou em frente a um prédio, poderá vê-lo a uma distância considerável. Nesses casos, escolher um ecrã de alta qualidade pode ser desnecessário e proibitivamente caro. Por outro lado, se a vitrine estiver localizada numa loja, o público estará muito mais próximo dela, criando uma vitrine muito mais elegante.

Uma regra útil para ecrãs LED é 1 mm por metro de distância de visualização.

O que são os nits?

A medição nit é usada para avaliar o brilho de um display LED. Nit é outra palavra para candela por metro quadrado. A candela é a luz utilizada no Sistema Internacional de Indicadores (SI). É uma medida que mede como o olho humano percebe a luz em cores diferentes, tornando-a ideal para cálculos de refletância. Uma candela é aproximadamente equivalente à quantidade de luz produzida por uma lâmpada normal.

É importante observar que a unidade nit é diferente da medição de lúmens ANSI para o brilho dos projetores de vídeo. Estas duas medidas não são comparáveis.